Renda Extra: 10 formas de ganhar dinheiro extra no fim do mês

Os gastos estão altos e um aumento não está no radar? Veja 10 formas de ganhar renda extra sem afetar sua ocupação principal

São Paulo – Se suas contas insistem em não fechar e você já tentou seguir todas as dicas de economia possíveis para cortar gastos, sua saída pode estar na ampliação das receitas. Mas, se as táticas para conseguir um aumento no trabalho também já se esgotaram, que tal abrir a cabeça e pensar em conseguir renda extra de outras fontes?

“Observar um talento que chama atenção de outras pessoas pode ser uma boa forma de descobrir o tipo de atividade que você poderia desempenhar naturalmente, sem prejuízos na sua ocupação principal, e que pode trazer algum dinheiro”, comenta a educadora financeira Cássia D’Aquino.

Com a febre da economia colaborativa, diversos sites, como Uber e Airbnb, facilitam a obtenção de renda extra. Eles conectam pessoas que buscam oferecer serviços e compartilhar bens em troca de uma remuneração a outras que estão dispostas a pagá-las por isso e até preferem, já que os valores cobrados podem ser mais atrativos.

Como será visto a seguir, esses sites não inventaram a roda, eles apenas facilitam a busca de alguém interessado em pagar por algo que já poderia ser convertido em renda extra muito antes de a internet surgir, como cuidar de um cachorro.

O lado ruim é que para fazer isso, os sites cobram taxas que não existiriam caso você oferecesse seus serviços à moda antiga, no tête-à-tête. Além disso, para conseguir um bom dinheiro em alguns deles, antes o interessado precisa batalhar para conseguir boas avaliações, para só depois aumentar seus preços e clientes.

Veja a seguir algumas sugestões sobre como obter renda extra e os sites que contribuem para que isso aconteça.

1) Alugue seu imóvel, ou parte dele

O aluguel é uma velha alternativa para ampliar a renda, mas com a criação do Airbnb conseguir um hóspede ficou muito mais fácil. Ainda mais considerando que basta ter um sofá para se candidatar como um anfitrião (veja espaços inusitados que viraram renda extra no Airbnb).

A renda extra com o aluguel pode partir de 36 reais, preço da diária mínima definida pelo site, até mais de 450 mil reais, que seria o valor obtido com o aluguel por 30 dias de uma das hospedagens mais caras do Airbnb no Brasil, um apartamento na Gávea, no Rio de Janeiro, cuja diária passa dos 15 mil reais.

Para dar uma ideia da renda média que pode ser obtida, em São Paulo o preço médio da diária fora da alta temporada é de 207 reais, o que significa que se houver um hóspede por pelo menos sete dias por mês, a renda extra chega a 1.449 reais. O valor, no entanto, não considera custos com o hóspede como com limpeza, internet e alimentação.

2) Transporte pessoas

O Uber talvez seja a fonte de renda extra mais popular desta lista. Qualquer pessoa com carteira de habilitação profissional, um smartphone com sistema iOS 7 ou com Android 4.0 e um carro fabricado a partir de 2008 com quatro portas, cinco lugares e ar-condicionado pode virar parceiro da Uber.

Antes de serem aceitos como parceiros, todos os candidatos passam por uma checagem de antecedentes criminais e por uma análise individual, cujos critérios não são revelados pela empresa.

Para se candidatar na categoria UberBlack, as restrições são maiores, o carro precisa ser preto, ter bancos de couro e deve ser fabricado a partir de 2012. Também há especificações sobre os modelos que podem ser cadastrados. Da Fiat, por exemplo, o único carro elegível ao Black é o Freemont (veja lista dos veículos aceitos).

A Uber desconta uma taxa de 20% do valor que o motorista recebe no UberBlack e de 25% no UberX.

Os ganhos dependem das horas trabalhadas, mas uma ferramenta da Uber permite calcular o faturamento estimado. Ela mostra que ao trabalhar com o UberX quatro horas por dia e cinco vezes por semana o faturamento mensal é de 1.948 reais, já líquido da taxa paga à Uber, mas sem considerar os gastos com manutenção do carro.

3) Alugue seu carro

Se dirigir não é muito sua praia, outra forma de usar seu carro para conseguir uma renda extra é disponibilizando-o para aluguel de terceiros, por meio de sites como o Fleety.

Para se cadastrar no Fleety, basta preencher um questionário informando dados pessoais e do veículo e divulgar o preço da locação por hora, semana e mês. Depois é só aguardar as solicitações.

Os valores de aluguel dos veículos variam entre 5 e 50 reais a hora, sendo que quanto mais sofisticado o modelo, maior o valor que pode ser obtido. O Fleety cobra uma taxa de 20% sobre o preço da locação, que inclui assistência 24 horas e seguro sobre roubo, morte, invalidez e colisões.

Ao considerar o valor médio cobrado pela hora do aluguel, de 27,50 reais, caso um proprietário alugue seu veículo por 2 horas ao dia, é possível conseguir 1.320 reais no fim do mês (descontando a taxa paga ao Fleety).

Outro site que também permite anunciar veículos para aluguel é o Pegcar, que cobra uma taxa de 10% sobre o valor da transação. O site também oferece cobertura de seguro, assistência 24 horas e dá suporte para que os usuários realizem o pagamento online.

4) Dê uma carona

Se você costuma viajar com seu carro e sempre tem pelo menos um assento vazio, você tem em mãos – ou no banco do seu carro – outra forma de ampliar sua renda no fim do mês.

Entre os sites que fazem o meio de campo entre os motoristas e as pessoas que buscam caronas está o BlaBlaCar. A empresa faz questão de ressaltar que a intenção do site não é gerar lucro com a carona, mas apenas reduzir os custos do usuário.

Para se cadastrar no BlaBlaCar, basta informar o itinerário, a data e hora da viagem e pedir uma participação nos custos da viagem para cada passageiro. A reserva pode ou não ser aprovada de forma automática, e o viajante paga diretamente ao proprietário do carro.

Em trechos como São Paulo-Rio de Janeiro são cobrados cerca de 60 reais por passageiro, enquanto o trecho São Paulo-Guarujá pode custar 10 reais.

5) Alugue qualquer objeto (até uma baleia inflável)

Existem diversas plataformas que conectam pessoas que precisam de um determinado item, como uma câmera fotográfica ou roupa, a pessoas que topam disponibilizá-los para estranhos em troca de uma graninha extra.

No Alooga, por exemplo, é possível disponibilizar para aluguel câmeras, sobretudos, drones e o que mais sua imaginação permitir. Os preços são definidos pelo próprio usuário. Um controle do XBox, por exemplo, é alugado por 7 reais, enquanto o aluguel diário de uma Canon 6D custa 160 reais. O site cobra uma taxa de 15% mais 0,30 centavos por transação.

O site Rent for All também reúne produtos para locação, como artigos para casa e escritório, itens para festas e eventos e acessórios e vestidos de luxo.Os planos de assinatura podem custar até 90 reais por mês. Apenas o primeiro anúncio postado no site não tem custo.

Um aparador para festas, por exemplo, é alugado por 62,50 reais e um balcão por 200 reais. Já uma baleia inflável para festas infantis é alugada por 1.200 por dia e uma cama elástica por 30 reais a hora.

6) Cobre por encomendas de viagem

Se você costuma viajar para fora com frequência e as encomendas cada vez são mais frequentes, que tal cobrar por isso? Afinal, encontrar aquele creme antirrugas que a irmã da sua sogra pediu nem sempre é fácil e leva tempo.

Caso você goste da ideia, mas se sinta desconfortável em fazer esse tipo de cobrança, existem sites que fazem isso por você.

No Stuff in Bag, o usuário cadastra sua viagem e se coloca à disposição para comprar produtos e trazê-los a alguém. Na outra ponta, usuários fazem encomendas e estipulam o preço máximo que podem pagar pelo produto pedido. Assim, o viajante pode aceitar ou não realizar a encomenda se encontrar o item pedido no valor estipulado pelo interessado.

Os preços cobrados pelo serviço de encomenda variam de acordo com o item. Mas, os valores sugeridos pelo site variam entre 10 dólares para algo de um quilo trazido em uma viagem de quatro horas, até 33 dólares para um item de 10 quilos trazido em uma viagem de 18 horas. O site cobra uma comissão de 7% sobre cada transação.

7) Alugue sua bike ou prancha

Sua bicicleta anda parada ou você tem uma prancha, mas não se lembra da última vez que viu o mar? Que tal tirar a poeira delas e ainda ganhar um dinheiro de quebra? No site Spinlister é possível anunciar bicicletas, equipamento para surf e esqui para aluguel.

O locador fornece dados do equipamento e, antes de ser cadastrado no site, o anúncio é analisado pela equipe da plataforma. Posteriormente, ele recebe notificações de pessoas interessadas no aluguel e aceita ou não o pedido. Caso aceite, o usuário paga então o valor do aluguel e o site repassa o pagamento ao locador após o término da reserva.

O site cobra uma taxa de 17,5% sobre o valor da locação e em caso de roubo ou danos, garante o reembolso de até 10 mil dólares no caso de bikes, 2 mil dólares para pranchas de surf e mil dólares no caso de esquis e snowboards.

O valor do aluguel é definido pelo dono dos equipamentos, mas o site sugere, por exemplo, que para uma bike o valor cobrado seja de 7 dólares por hora, 20 por dia e 100 por semana.

Um anúncio típico de bicicleta disponível para aluguel no Rio de Janeiro, por exemplo, sai por 15 dólares o dia, ou 54 reais (considerando uma cotação de 3,60 reais). Se a magrela for alugada dois dias por semana, ou oito dias ao mês, a renda extra é de 356,40 reais (432 reais, menos as taxas).

8) Seja goleiro

Se você joga como goleiro, sempre foi altamente concorrido nas peladas, mas em troca de suas disputadas defesas não recebeu mais do que um tapinha nas costas e algumas boas boladas, isso pode mudar.

startup Goleiro de Aluguel conecta times que buscam um goleiro para suas peladas a pessoas interessadas em pegar no gol, por uma graninha, claro.

O time interessado no goleiro paga 30 reais por partida, sendo que 18 reais ficam com o goleiro e outros 12 reais vão para o site, que repassa parte do valor a projetos sociais. Ao jogar três partidas por semana são 216 reais a mais por mês. O valor pode não ser tão alto, mas considerando que você costuma pagar para jogar bola, em vez de receber, pode valer a pena.

Para se habilitar, basta acessar o site e preencher um cadastro com informações como nome, telefone, e-mail, RG, CPF, altura e peso. A partir daí o goleiro já começa a receber via WhatsApp notificações de convocações aleatórias e/ou especificas de acordo com região de atendimento.

O pagamento é feito diretamente ao goleiro, que deve repassar parte do valor ao Goleiro de Aluguel.

O site ainda não está disponível para goleiras porque, segundo a assessoria da empresa, a demanda é baixa (animem-se, jogadoras). Além disso, por enquanto, todo o contato é feito por WhatApp, mas o aplicativo do Goleiro de Aluguel deve ser lançado na segunda semana de julho.

9) Cuide de um cachorro

Cuidar de um cachorro é uma forma de renda extra conhecida há tempos, mas é claro que também já existe um site que faz a conexão entre os donos dos pets e os anfitriões dispostos a hospedar os bichinhos.

No Dog Hero o anfitrião deve concordar em ter um canal de contato aberto com o dono durante todo o período da hospedagem e precisa manter a rotina de alimentação e passeio do animal. O site cobra uma taxa de 25% do valor da hospedagem.

Ao navegar pelo site é possível encontrar diárias que variam entre 40 e 80 reais, o que significa que uma pessoa que recebe um cachorro 15 dias por mês pode contar com uma renda extra de 900 reais.

No Pethub também é possível anunciar casas para hospedar bichos de estimação por custos que partem de 25 reais por noite. Cada usuário cobra o preço que quiser e a plataforma cobra do anfitrião uma taxa de 15% do valor do aluguel.

Em ambos os sites, os usuários avaliam os cuidadores. Assim, quanto melhores as avaliações, maiores as chances de conseguir hospedagens e por valores mais atraentes.

10) Alugue sua vaga de garagem

“Imagine poder aumentar sua renda sem fazer nada… Quer dizer você precisa se cadastrar no aplicativo, mas em apenas 2 minutos e 17 segundos você já vai estar podendo lucrar com sua vaga ociosa”. Essa é a descrição do site ezPark, que permite aos usuários obter uma renda extra alugando vagas de garagem.

O aluguel de uma vaga pode ser feito sem o intermédio de um site e a taxa cobrada por ele, obviamente, mas o ezPark afirma que os diferenciais do serviço são os seguros oferecidos e os indicadores que são capazes de avaliar um usuário para você.

A definição do valor cobrado e da disponibilidade da vaga ficam a critério do locador. Em uma matéria feita pela revista QuatroRodas um usuário disse, por exemplo, que faturou 400 reais em um mês com um aluguel de uma vaga no bairro de Pinheiros, em São Paulo. A empresa cobra uma taxa sobre a transação que varia de 10% a 30% do valor do aluguel.

O app ParkingAki também utiliza o mesmo conceito e cobra 10% do valor da diária recebida pelo dono da garagem. Ele tem sido usado em eventos, como shows e jogos de futebol. No site, uma vaga no Itaim Bibi, por exemplo, é anunciada por 15 reais a hora. Se a vaga for usada por 10 horas por final de semana isso significa uma renda extra de 600 reais por mês.

Fonte:http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/20-formas-de-ganhar-uma-renda-extra-no-fim-do-mes/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *